https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/issue/feed Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores 2024-02-09T12:49:16+00:00 José Jardilino rbpfp@revformacaodocente.com.br Open Journal Systems <div class="home-box"> <p>A "Formação Docente" – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, publicação digital sob a responsabilidade editorial do Grupo de Trabalho- GT "Formação de Professores" (GT08), da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), em coedição com a Editora Autêntica.</p> </div> https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/767 Apresentação 2024-02-05T23:50:55+00:00 José Rubens Lima JARDILINO jrjardilino@gmail.com <p>A Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores (RBPFP) – é uma publicação do Grupo de Trabalho Formação de Professores (GT8), da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped). Esta publicação refere-se ao último quadrimestre de 2023 - número 34, do volume 15 (setembro – dezembro) de 2023.</p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 José Rubens Lima JARDILINO (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/717 CONTRIBUTOS TEÓRICOS PARA PENSAR A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA PERSPECTIVA DA PROFISSIONALIDADE 2024-02-09T12:49:04+00:00 Daiane PINHEIRO daipinh83@gmail.com Sofia FREIRE asraposo@ie.ul.pt <p>Este artigo consiste em um estudo bibliográfico sobre a formação e profissionalidade docente, aprofundando aspetos sobre as competências e a identidade profissional de professores. Inicialmente faz-se uma abordagem conceitual sobre formação de professores, chegando ao termo profissionalidade e seus desdobramentos, como competências e identidades. Neste cenário, o texto transita por diferentes olhares teóricos sobre os processos de formação docente, aproximando o pensamento de autores que transitam pela teoria crítica e pós crítica. Foram levantados contributo teóricos para discutir os modos de constituição de identidades docentes considerando o exercício das competências profissionais. É possível compreender que as perspectivas sobre a constituição profissional docente, dimensionadas em competências e identidades, envolvem um processo dinâmico, regido pelas mudanças sociais e delimitado em diferentes contextos que as produzem.</p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Daiane PINHEIRO, Sofia FREIRE (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/701 PSICOLOGIA E FORMAÇÃO DOCENTE: UMA ANÁLISE DA BNC-FORMAÇÃO 2024-02-09T12:49:11+00:00 Cárita Portilho de LIMA carita.portilho@yahoo.com.br <p>Pautando-se nos pressupostos teórico-metodológicos da psicologia histórico-cultural, o presente artigo assume como objeto de análise a BNC-formação e apresenta como objetivo problematizar as concepções psicológicas sobre aprendizagem e desenvolvimento expressas e implícitas nesse documento. Inspiradas na abordagem da análise documental e partindo de uma perspectiva ensaística, as reflexões estão organizadas a partir do seguinte caminho argumentativo: uma análise histórica acerca da presença da psicologia na formação de professores no Brasil; a contextualização da BNC-Formação a partir da publicação da BNCC (Base Nacional Comum Curricular); diálogos entre as concepções psicológicas que subjazem a BNC-Formação e os pressupostos da psicologia histórico-cultural. As análises apresentadas evidenciam que as concepções de aprendizagem e desenvolvimento expressas nesse documento – assim como os projetos de sociedade, de educação e de ensino nele implícitos –, servem ao esvaziamento dos potenciais humanizadores e críticos da educação, reforçando o lugar histórico que a psicologia tem ocupado nesse campo no sentido de culpabilizar indivíduos por problemas coletivos e de ordem político-social.</p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cárita Portilho de LIMA (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/704 DE LICENCIADO A PROFESSOR DE BIOLOGIA: UM ESTUDO FENOMENOLÓGICO SOBRE FORMAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO PROFISSIONAL 2024-02-09T12:49:08+00:00 Ravi Cajú DURÉ ravicdure@gmail.com Maria José Dias de ANDRADE mariadiasandrade@gmail.com Francisco José Pegado ABÍLIO chicopegado@yahoo.com.br <p>A pesquisa teve como objetivo investigar os aspectos decisivos para a escolha pelo curso de Biologia e pela carreira docente. Para tanto, utilizamos o método Fenomenológico para realizar entrevistas com 13 professores de Biologia. Como resultado, observamos que tanto a escolha pelo curso quanto pela carreira docente teve um forte polo de influência na identificação com a atuação dos professores do ensino médio, demonstrando o fraco potencial de engajamento profissional que a Licenciatura exerceu nesse processo. Também compreendemos que, para a maioria dos professores, se tornar professor não era uma intenção prioritária, sendo uma escolha mediante a ausência de outras oportunidades de trabalho. Dados que reforçam o baixo envolvimento dos biólogos com o universo pedagógico no período da Licenciatura.</p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Ravi Cajú DURÉ, Maria José Dias de ANDRADE, Francisco José Pegado ABÍLIO (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/736 ENTRE O ESPECÍFICO E O PEDAGÓGICO: ASPECTOS DO CONHECIMENTO DA DOCÊNCIA NA MATRIZ CURRICULAR NAS LICENCIATURAS EM MATEMÁTICA E PEDAGOGIA 2024-02-09T12:48:59+00:00 Klinger CIRÍACO klinger.ciriaco@ufscar.br <p>Apresento a análise de ementas de disciplinas da licenciautra em Matemática e Pedagogia, a qual constituiu uma das etapas da pesquisa que desenvolvi no doutorado. Os resultados tomam como fonte de produção de dados a análise documental de Projetos Pedagógicos de Cursos (PPC’s) de Universidades públicas e privadas do estado de Mato Grosso do Sul (MS) em relação as aspectos do conhecimento da docência. O referencial teórico explora as bases de conhecimento para o ensino com destaques para o conhecimento específico e pedagógico de conteúdo. Faço referência, na seção metodológica, às docentes egressas dos cursos, haja vista que este processo transcorreu em decorrência do trabalho com um grupo de professoras iniciantes e suas relações com a Matemática. Os resultados indicam que a formação de professores, em ambas licenciaturas, carece de uma maior articulação entre o específico e pedagógico, sinalizando a necessidade pensar o lugar da docência e das práticas pedagógicas. </p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Klinger CIRÍACO (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/684 CARACTERIZAÇÃO DA PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR EM CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E EM QUÍMICA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2024-02-09T12:49:14+00:00 Gabriela Luisa SCHMITZ gabrielaluisas@gmail.com Luiz Caldeira Brant de TOLENTINO-NETO lcaldeiraa@gmail.com <p>A Prática como Componente Curricular (PCC) é uma dimensão da formação inicial de professores, instituído em 2002, com o objetivo de articular a dimensões teórica e prática da formação de professores. Nosso estudo busca analisar como a prática como componente curricular aparece nos documentos oficiais e nos projetos de curso de licenciatura em Ciências Biológicas e em Química. A pesquisa qualitativa se deu por análise dos documentos segundo os pressupostos da Análise de Conteúdo. Os resultados da análise demonstram que os cursos estão, documentalmente, de acordo com o exigido pela legislação para formação de professores, tanto nos seus pressupostos teóricos quanto em relação à carga horária e sua distribuição. Além disso, na análise, são destacadas características fundamentais da PCC, como a aproximação da atividade docente, construção da identidade docente e articulação de conhecimentos. Assim, destacamos, ainda, a importância da manutenção da PCC tal como configurada nas Resoluções de 2002.</p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Gabriela Luisa SCHMITZ, Luiz Caldeira Brant de TOLENTINO-NETO (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/735 NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM APÓS O ENSINO REMOTO EMERGENCIAL 2024-02-09T12:49:01+00:00 Nilda Masciel Neiva GONÇALVES nildabio@ufpi.edu.br <p>A pandemia da COVID 19, possibilitou a imersão em variadas formas de produzir a aula, que passou a configurar-se como Ensino Remoto Emergencial (ERE), dando continuidade ao processo educativo. Sendo esse, questionado por vários problemas ocasionados em campos diversos. Nesse contexto, torna-se oportuno analisar as dificuldades de aprendizagem de alunos no Ensino Superior com o retorno de aulas presenciais pós pandemia. Trata-se de uma pesquisa descritiva de abordagem qualiquantitativa que tem o questionário como instrumento de coleta de dados e alunos de uma universidade pública, como sujeitos. Os dados coletados foram analisados a luz da “análise interpretativa” e apontam para dificuldades oriundas da demanda de atividades, a maior quantidade de conteúdo de ensino, maiores exigências docentes, a realização de avaliações mais complexas e defasagem de conteúdos de períodos anteriores. Com a pesquisa a possibilidade de discussões na área em questão para amenizar as dificuldades que impossibilitam aprendizagens significativas. </p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Nilda Masciel Neiva GONÇALVES (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/682 AS DIFERENTES LINGUAGENS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE DIZEM AS PROFESSORAS 2024-02-09T12:49:16+00:00 Janaína Oliveira GONÇALVES janainaomg@gmail.com Marco Antonio Melo FRANCO mamf.franco@gmail.com <p> O estudo analisa as percepções de professoras alfabetizadoras sobre a presença e a relevância das diferentes linguagens no processo de alfabetização de crianças. Trata-se de um recorte de uma dissertação de mestrado¹ vinculada ao Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Práticas na Alfabetização e na Inclusão em Educação (NEPPAI) da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). O aporte teórico que embasa o estudo fundamenta-se em autores como: Soares (2008; 2015), Geraldi (1984;1999), Malaguzzi, (2016), Matos e Jardilino (2016), entre outros. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que utiliza a entrevista semiestruturada e a observação como instrumentos para coleta de dados. Foram entrevistadas duas professoras alfabetizadoras do município de Itabirito/MG. A investigação evidencia que embora as docentes compreendam a importância do trabalho com os diferentes linguagens, a introdução delas no cotidiano da sala de aula se configura como um desafio a ser vencido.</p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Janaína Oliveira GONÇALVES, Marco Antonio Melo FRANCO (Autor) https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/712 INFLUÊNCIA DO AFETO POSITIVO, AUTOEFICÁCIA E SATISFAÇÃO NO ENTUSIASMO DOS ESTUDANTES DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 2024-02-09T12:49:06+00:00 João Paulo Cunha MENEZES jpaulo_bio@hotmail.com <p style="font-weight: 400;">Este trabalho investigou a interação entre as experiências afetivas positivas, crenças de autoeficácia e satisfação dos estudantes para explicar seu nível de entusiasmo após o estágio curricular supervisionado. A amostra consistiu em 63 estudantes de licenciatura em Ciências Biológicas. Os resultados revelaram correlações positivas e significativas entre o afeto positivo e a autoeficácia, satisfação no trabalho e entusiasmo dos estudantes. Além disso, a autoeficácia foi positivamente relacionada à satisfação no trabalho e ao entusiasmo. No entanto, a correlação entre satisfação no trabalho e entusiasmo não foi estatisticamente significativa. Estudos anteriores ressaltam a importância do afeto positivo, autoeficácia e satisfação no contexto do estágio curricular supervisionado para o bem-estar e desempenho dos estudantes. Promover experiências afetivas positivas durante o estágio pode aumentar a autoeficácia, satisfação e entusiasmo dos estudantes, preparando-os para a carreira docente. Os resultados sugerem a importância de criar um ambiente de estágio favorável e emocionalmente positivos.</p> 2024-02-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 João Paulo Cunha MENEZES (Autor)