Formação inicial na Pedagogia e o trabalho nas escolas multisseriadas no campo no Oeste de Santa Catarina - Brasil

  • Ivo Dickmann Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó
  • Jéssica Luana da Costa Folgiarini Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó http://orcid.org/0000-0003-2469-6981
Palavras-chave: Formação Inicial, Pedagogia, Classes multisseriadas, Educação do Campo

Resumo

Este artigo propõe compreender como a temática do ensino multisseriado está inserida na formação inicial de graduadas em Pedagogia a partir de depoimentos de educadoras que narram sua trajetória como docentes no ensino multisseriado no campo. O problema de pesquisa que mobilizou o estudo foi: Qual a percepção das educadoras das escolas multisseriadas do interior do município de Anchieta-SC sobre a formação recebida no curso de Pedagogia para trabalhar nessa modalidade de ensino? Do problema derivam as seguintes questões de pesquisa: Como se caracteriza a trajetória das escolas multisseriadas no município de Anchieta-SC? As pedagogas sentem-se preparadas para atuar em escolas multisseriadas?  Quais os desafios pedagógicos nas escolas multisseriadas no campo?  A formação inicial das educadoras capacita para trabalhar com todas as modalidades de ensino? O objetivo geral foi compreender, a partir da percepção das educadoras que trabalham nas escolas multisseriadas do campo se a formação recebida na Pedagogia prepara para trabalhar nas diferentes modalidades de ensino. A pesquisa realizou-se em duas escolas multisseriadas situadas no município de Anchieta-SC, por meio de entrevistas semiestruturadas, gravadas e transcritas, com três educadoras que atuam no ensino multisseriado do campo. O estudo possibilitou compreender que existem vários desafios para as docentes de classes multisseriadas, mas, percebemos que a Pedagogia precisa melhorar a formação das pedagogas para que possam estar preparados para trabalhar nessas escolas multisseriadas. O resultado mostrou que as educadoras que se formaram em Pedagogia demonstram não terem formação específica para trabalhar em escolas multisseriadas, porém, de várias formas vão buscar capacitação e se preparar para fazer um bom trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. São Paulo: Martins Fontes.

Caldart, R. S. (2001). O currículo das escolas do MST. In: Alfabetização e Cidadania, n. 11, Abr.

Cavalcanti, L. de S. (2002). Geografia e práticas de ensino. Goiânia: Alternativa.

Calazans, M. J. C. et alii (1985). Questões e contradições da educação Rural no Brasil. In: Werthein, J.; Bordenave, J. D. Educação rural no 3º mundo: experiência e novas alternativas. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Calazans, M. J. C. (1993). Para compreender a educação do Estado no meio rural. In: Damasceno, M. N.; Therrien, J. (Orgs.). Educação e escola no campo. Campinas: Papirus.

Costa, G. B.A. (2010). Um estudo sobre a relação teoria e pratica na formação do professor de geografia. Anais do IV colóquio Internacional Educação e contemporaneidade, São Cristovão: Setembro.

Ferri, C. (1994). Classes multisseriadas: que espaço escolar é esse? Florianópolis: UFSC. Dissertação de mestrado.

Fernandes, B. M.; Cerioli, P. R.; Caldart, R. S. (2009). Primeira Conferência Nacional “por uma educação básica do campo”: Texto Preparatório In: Arroyo, M. G.; Caldart, R. S.; Molina, M. C. (Orgs.). Por uma Educação do Campo. Petrópolis: Vozes.

Fabris, F.; Bernardi, L. T. (2018). A função social da escola do campo e os princípios filosóficos da educação para o MST: um olhar sobre a Escola José Maria. Revista Brasileira De Educação Do Campo, 3(3), 784-809. https://doi.org/10.20873/uft.2525-4863.2018v3n3p784

Freire, P. (2005). Quefazer: Teoria e prática em Educação Popular. 6. ed. Petrópolis: Vozes.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática Educativa. São Paulo, Paz e Terra.

Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, H. C. L. (2002). Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educação e Sociedade. Campinas, v. 23, n. 80, p. 136-167, set.

Gauthier, C. (2001). Triângulo didático-pedagógico: o triângulo que pode ser visto como quadrado. Revista Educação nas Ciências. Ijuí: Unijuí, jan./jul.

Gil, A. C. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Giles, T. R. (1987). Filosofia da Educação. São Paulo: EPU.

Guimarães, V. S. (2004). Formação de professores: saberes, identidade e profissão. Campinas: Papirus.

HAGE, S. M. (2005). Classes Multisseriadas: desafios da educação rural no Estado do Pará/Região Amazônica. In: HAGE, S. M. (Org.). Educação do Campo na Amazônia: Retratos de realidade das escolas multisseriadas no Pará. Belém: Gutemberg.
Marconi, M. de A.; Lakatos, E. M. (2005). Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Mizukami, M. da G. N. et al. (2002). Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EdUFSCar.

Rosa, A. C. S. (2003). Educação de Jovens e Adultos: o desafio das classes multisseriadas. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Metodista de São Paulo, Piracicaba.

Sampieri, H. R. (2013). Metodologia de pesquisa. Porto Alegre: Penso, 2013.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Tuan, Y-F. (1980). Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL.

Ximenes-Rocha, S. H.; Colares, M.L.I.S. (2013). A organização do espaço e do tempo
escolar em classes multisseriadas: na contramão da legislação. Revista HISTEDBR OnLine, Campinas, v. 13, n. 50, p. 90-98, maio.
Publicado
30-08-2019
Como Citar
DICKMANN, I.; FOLGIARINI, J. L. DA C. Formação inicial na Pedagogia e o trabalho nas escolas multisseriadas no campo no Oeste de Santa Catarina - Brasil. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 11, n. 21, p. 121-136, 30 ago. 2019.